Dia da Família: saiba como vivenciar essa data na sua escola 

4 de dezembro de 2023


O dia 8 de dezembro foi o dia escolhido para homenagear essa que, na verdade, é a base da nossa sociedade: a família. E esse momento, claro, não deve passar despercebido em nenhum contexto: diversas atividades podem entrar em cena para que essa data tão importante e significativa seja associada a inesquecíveis vivências. 

Grande importância 

Muito mais do que mais um dia no calendário, o Dia da Família é um convite à reflexão e ao fortalecimento de laços que são dos mais importantes e que se refletem sobremaneira na vida de todos nós. 

Como surgiu essa data? 

O Decreto-Lei nº 52.748, de 24 de outubro de 1963, estabeleceu o dia 08 de dezembro como o Dia da Família. Dia esse que coincide com a celebração do dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Dicas de ações particulares 

Passeios em família, um almoço especial; jogos e brincadeiras; troca de cartinhas carinhosas e bem humoradas. Uma sessão de cinema em casa na qual todos se façam presentes. Interações profundas e descontraídas junto à natureza.  Essas são algumas ações que podem ser priorizadas no âmbito familiar para que o Dia da Família represente algo, de fato, inesquecível. Ah, é claro que não podemos deixar de ressaltar a importância que há em se registrar cada um desses momentos (com fotos e vídeos)! 

Embora as comemorações particulares sejam as mais importantes nesse sentido, elas não devem se restringir a esse “caráter privado”. Tudo o que se puder fazer, no sentido de fomentar o papel de protagonismo das famílias no meio social, deve ser passível de consideração. E as instituições de ensino têm tudo para se aliarem às famílias também com relação a essa missão. 

Como vivenciar o Dia da Família nas escolas?   

A vivência dessa data no ambiente escolar é algo essencial (nem precisamos explicar os motivos, né?). Assim, dinâmicas (on-line ou presenciais) que se orientem pelas atuações de professores de música e/ou de educação física têm tudo fazerem uma grande diferença. Além disso, apresentações infantis, mensagens institucionais e uma mobilização compatível com a relevância desse dia nas redes sociais da instituição são outros pontos que podem (e devem) vir à tona por obra de gestores educacionais e por parte de todos que formam – direta ou indiretamente – a equipe pedagógica da escola. 

Mais em vista 

Atividades que fortaleçam os papéis do senso de coletividade, da empatia, do respeito às diferenças (tendo por base as diversas configurações familiares existentes) e da igualdade constituem outras frentes que, se bem exploradas, trarão ótimos resultados em todos os níveis. 

É como diz um conhecido provérbio chinês: “quando as raízes são profundas, não há razão para temer o vento”. E essas raízes decerto se consolidam na vivência familiar que, por sua vez, precisa desfrutar de um terreno verdadeiramente fértil para que possa se desenvolver de forma positiva, luminosa.