O que a escola pode fazer para que os alunos queiram estudar mais?

27 de janeiro de 2023


Todo incentivo dado em prol de uma boa causa é precioso. E um dos incentivos mais importantes para o meio social pode (e deve) ser protagonizado pela escola. Afinal de contas, não basta que o aluno frequente a sala de aula. Ele precisa desenvolver gosto pelos estudos e por bons planejamentos que sejam viáveis e eficientes. Mas, como bem sabemos, essas não são missões das mais fáceis. É nesse contexto que esse apoio dado pela instituição de ensino para os estudantes tende a fazer toda diferença.

As possibilidades são muitas e todas muito relevantes. Logo de início pode-se pensar, por exemplo, em atividades focadas na importância que guia o ato de estudar. Outra dica muito interessante é fazer com que os alunos compartilhem uns com os outros as estratégias de estudos das quais eles fazem uso. E, claro, não para por aí.

Olhar atento

É fundamental que os professores fiquem inteirados o máximo possível acerca das dificuldades apresentadas pelos alunos, até para que possam melhor orientá-los quanto aos assuntos que demandam uma atenção maior. Uma boa relação, pautada no bom humor e numa comunicação eficiente, também é algo que precisa ser priorizado pelos docentes.

Os alunos precisam desenvolver gosto pelos estudos e por bons planejamentos que possam de fato ser viáveis e eficientes
Os alunos precisam desenvolver gosto pelos estudos e por bons planejamentos que possam de fato ser viáveis e eficientes

Além de tudo isso, o oferecimento de tarefas desafiadoras – e, na medida do possível, de um “sistema de recompensas” – somado a estímulos vão ao encontro do desenvolvimento da curiosidade nos estudantes e também são ações muito consideráveis.

Tecnologia é aliada

Bem sabemos que, no contexto do processo de ensino-aprendizagem, não são apenas os conteúdos em si que são importantes. As metodologias influem diretamente no nível de interesse dos jovens a respeito do que se precisa estudar. Então não podemos deixar de mencionar o papel determinante que a tecnologia tem nessa busca por uma “formatação mais atraente” acerca dos assuntos a serem trabalhados.   

Gamificação, sala de aula invertida, aprendizagem baseada em projetos são algumas das chamadas metodologias ativas que têm tudo para se aliarem à busca por essas formatações. No mais, vale ressaltar a postura de mediação que os professores precisam ter em sala de aula para que os alunos se sintam cada vez mais protagonistas do processo de ensino-aprendizagem (o que, logicamente, contribui muito para eles fiquem mais motivados).

E aí, curtiu? Quais são as principais ações praticadas em sua escola no intuito de fazer com que os alunos queiram estudar mais?