Saiba como os filmes podem ser importantes dentro das salas de aulas

25 de outubro de 2022


Tudo que vem para somar no processo de aprendizagem é sempre algo muito bem-vindo. E, nesse contexto, a sétima arte pode sim ter um papel de destaque. Mas para que a utilização desse tipo de recurso possa se tornar exitosa dentro de uma estratégia de ensino alguns cuidados precisam ser levados em conta de forma primordial.

Planejamento

Quais são os objetivos que devem ser atingidos com a veiculação do filme? A ideia é que os estudantes possam, através dele, despertar para um tema específico a ser debatido ou a proposta é que o filme possa atuar como um complemento de um assunto que já foi discutido previamente? As respostas de perguntas simples como essas podem oferecer uma maior clareza quanto à escolha do material a ser exibido.

Metodologia bem definida

Diante do tempo geralmente limitado para exibição de longas-metragens em sala de aula, se faz muito necessário que uma metodologia esteja devidamente definida antes da veiculação do filme para facilitar o pleno entendimento do mesmo por parte dos alunos. Se a opção feita disser respeito a um curta-metragem ou a um documentário mais breve, essa dinâmica de organização, por sua vez, tende a ser facilitada.

Professor (a), sala de aula não é lugar para você enaltecer seu repertório cinematográfico

É muito importante que seja sempre levado em consideração o perfil de cada público para o qual se almeja propor uma atividade. De nada adianta querer abordar questões de teor filosófico/existencialista escolhendo o ótimo “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”, de Michel Gondry (2004), por exemplo, se os estudantes tiverem um perfil que se atraia mais pela estrutura abordada no genial “Matrix”, das irmãs Wachowski (1999).

Sem spoilers, por favor

É recomendável que, de modo prévio, o professor aborde apenas aspectos mais gerais a respeito do filme que será exibido. Falar um pouco sobre o diretor e sobre a repercussão que a obra teve especialmente na época do seu lançamento, por exemplo. No mais, o ideal é que cada estudante possa ficar bem à vontade para conceber as próprias conclusões a respeito do que será exposto, e que o professor esteja totalmente por dentro de todo enredo a fim de lidar de forma realmente esclarecedora com qualquer tipo de dúvida que venha a surgir.

Se for para fazer comentários sobre pontos importantes do filme, que essas interrupções sejam feitas de forma mais direta no intuito de que a dispersão dos alunos não aconteça, ou, caso aconteça, não seja tão intensa.

Através da adoção de medidas dessa natureza, a sétima arte passa a ter todas as condições de potencializar o nível de aprendizagem em sala de aula de uma forma lúdica, dinâmica e, claro, eficiente.

Vamos interagir?

E aí? Na sua escola os filmes são utilizados em prol da educação?