Piloto automático na educação: saiba como evitá-lo na sua escola

9 de junho de 2023


Quando a ida para a escola soa como algo sempre chato, monótono, ou seja, como algo que constitui verdadeiras odes à mesmice (isso tanto aos olhos dos alunos quanto aos olhos dos professores), se verifica a existência de prejuízos enormes no contexto do processo de ensino-aprendizagem. Afinal, esse indesejável piloto automático vem na contramão da produtividade e, de todas as formas, precisa ser evitado. 

Mas quais são as práticas que podem ser adotadas no intuito de tornar as vivências nas dependências escolares momentos realmente muito positivos e enriquecedores para todos? O Blog da Vortex Educação lhe diz neste post!

São várias as ferramentas que podem assumir um protagonismo nesse sentido. Vamos às principais:

Metodologias ativas são ótimas alternativas para dinamizar o dia a dia escolar. Por meio delas, os alunos se tornam agentes literalmente ativos no processo de ensino-aprendizagem e os professores assumem um papel de caráter essencialmente mediador em sala de aula. “Quais são as metodologias ativas existentes?”. São muitas: gamificação; design thinking; estudos de casos; cultura maker; aprendizagem baseada em projetos; sala de aula invertida; pesquisas de campo e muito mais.

Sim, a tecnologia tem papel fundamental nesse contexto. Afinal, por meio dela, os professores têm mais condições de inovarem em sala de aula e de fomentarem um maior nível de engajamento por parte dos alunos. E isso, claro, deixa todos muito mais motivados.

Humanização presente

Um ambiente escolar acolhedor, no qual haja uma salutar aproximação entre alunos e professores constitui algo também essencial (por mais presentes que sejam as nuances tecnológicas no âmbito escolar, elas nunca irão substituir a importância do “olho no olho”, do “ao vivo e em cores”, da escuta presencial e ativa). Neste ponto, merecem destaque também as estratégias que fortalecem os vínculos entre as famílias e as escolas. Afinal, quanto mais fortes são esses vínculos, mais as crianças e jovens se sentem apoiados na busca não apenas do cumprimento das obrigações escolares, mas também (e principalmente) da otimização da aprendizagem.

Soluções extraclasse

Outra dica bastante valiosa consiste no oferecimento de aulas que não se restrinjam aos limites físicos das salas de aula. Visitas a museus, parques, teatros, institutos de pesquisa, exposições (entre outras tantas possibilidades) geram expectativas positivas nos alunos e lhes permitem vivenciar, na prática, a muitos dos assuntos que lhes foram passados na teoria.

Esses são apenas alguns dos caminhos que podem ser seguidos no intuito de fazer com que o piloto automático não paire sobre as escolas, tampouco sobre o processo de ensino-aprendizagem. O importante é que professores e estudantes estejam sempre em sintonia e que as instituições educacionais constituam locais que atraiam suas presenças independentemente das tarefas formais que precisam ser cumpridas.