Como você pode ajudar na consolidação do caráter inclusivo da educação?

1 de setembro de 2023


Para que a educação inclusiva seja viabilizada de forma plena numa instituição, faz-se necessária uma soma de esforços. Assim, gestores educacionais, professores e as próprias famílias dos estudantes constituem partes essenciais nesse trabalho minucioso de construção democrática do ensino.

O que cabe aos gestores educacionais?

Os gestores educacionais respondem diretamente pelas instituições de ensino. Por isso, podemos atribuir um quê a mais de protagonismo a eles nesse contexto. Afinal, cabe a esses profissionais o oferecimento de uma estrutura que vá ao encontro da inclusão na educação. Mas como isso pode ser feito?

Investimento em equipamentos e tecnologias (o que inclui a chamada tecnologia assistiva). Investimento na capacitação dos professores. Aprofundamento na relação “escola-família” no intuito de que os pais fiquem sempre por dentro a respeito de todos os detalhes que regem esse tema (com destaque para os benefícios relacionados à educação inclusiva), bem como das maneiras que o mesmo tem sido viabilizado no ambiente escolar. Mudanças que promovam acessibilidade universal e adaptações curriculares necessárias. Tudo isso (e mais!) faz parte do “modus operandi” dos gestores educacionais que, de fato, querem fortalecer o caráter inclusivo do ensino oferecido pela instituição.

O que cabe aos professores?

Os professores precisam ser mediadores. E desenvolverem um importante senso de observação. A ideia é que eles possam entender as necessidades específicas de cada estudante e viabilizarem um plano de ação personalizado que ofereça a todos as mesmas condições de aprendizagem. Além disso, algumas estratégias são necessárias a fim de que os estudantes possam interagir mais uns com os outros. Isso, claro, regidos por profundas noções de respeito e empatia no intuito de que um ambiente propício para o desenvolvimento da autoestima, da autonomia e da inclusão possa, de fato, vir à tona.

E qual é o papel das famílias nesse contexto?  

As famílias têm que buscar um estreitamento dos laços com a escola. Elas precisam marcar presença nas reuniões e demais eventos escolares, a fim de que as crianças e jovens se sintam ainda mais apoiados. No cerne familiar, deve ser incentivado o desenvolvimento de parâmetros como autonomia e resiliência, a fim de que os filhos possam se tornar seres humanos cada vez mais empoderados e conscientes acerca do próprio valor, bem como dos valores que são inerentes aos que os cercam.  

Em suma, essas são as principais ações que cada uma das frentes citadas têm que priorizar no intuito de fortalecer os pilares da educação inclusiva. Por meio desta, todos ganham, inclusive o processo de ensino-aprendizagem, que se torna ainda mais humanizado e eficiente.