Saiba como sua escola pode contribuir para o fortalecimento da saúde mental dos seus professores

14 de novembro de 2022


A vida de qualquer pessoa é sempre repleta de desafios, né? Mas vamos combinar que nesses últimos anos os obstáculos têm sido um tanto mais potentes do que os de outrora em muitos sentidos, não é mesmo?  

Assim, não é difícil constatar que a saúde mental de milhões de profissionais das mais diversas áreas em todo o mundo vem sendo impactada, e os professores, claro, não constituem exceções nesse contexto.

Por isso é fundamental que os gestores educacionais fiquem bem atentos aos sinais que são dados por parte dos docentes que estão enfrentando problemas dessa natureza. Nem todas as pessoas que se encontram com a saúde mental prejudicada conseguem de fato pedir ajuda de forma propriamente dita, cabendo a terceiros um olhar mais apurado, gentil e empático acerca dos colegas.

Muito a ser considerado

São muitos aspectos que podem contribuir para que tais problemas ocorram: alunos que não estejam em sintonia com o propósito das aulas, pressão por aulas cada vez melhores, falta de descanso, desvalorização da categoria e falta de apoio por parte dos gestores educacionais são alguns deles.

O que pode ser feito visando o fortalecimento da saúde mental dos professores?

É fundamental que sua instituição ofereça suporte psicológico individualizado para os professores. Por mais que desabafos informais tenham muita importância, há questões que só têm como serem acessadas profundamente e de forma adequada mediante auxílio profissional.

Que tal viabilizar um espaço na sua escola que seja inteiramente voltado para o relaxamento da equipe docente? Um espaço no qual eles possam conversar de maneira descontraída uns com os outros, ouvir uma música, “fechar os olhos” por um tempinho antes do horário da próxima aula chegar? É uma boa!

Mais possibilidades

Quanto mais preparados e atualizados os professores ficarem, mais eles se sentirão seguros em sala de aula quanto aos seus rendimentos individuais, desfrutando de uma motivação que terá sempre uma tendência de alta. Sendo assim, nada melhor do que oferecer para eles cursos de capacitação e outras ferramentas que possam contribuir para o desenvolvimento dessa “autoestima profissional”, não é mesmo?

E, claro, tudo isso precisa ser norteado por uma gestão humanizada por meio da qual os educadores consigam se sentir acolhidos e devidamente valorizados. Através da adoção dessas medidas (e de várias outras) certamente a equipe docente da sua instituição terá tudo para atuar de modo bem mais feliz e eficiente!