Saúde mental em pauta: saiba como o “Setembro Amarelo” pode ser vivenciado na sua escola

1 de setembro de 2022


Setembro chegou. E com ele a necessidade de se abordar ainda mais o tema saúde mental, com foco especialmente nos jovens.

Por isso, hoje, o Blog da Vortex Educação irá tratar da importância desse período e das possibilidades que podem ser vivenciadas, nesse sentido, no âmbito escolar – em alusão, claro, ao “Setembro Amarelo”, principal marco em prol do tema em questão do calendário nacional.

Enorme importância

“É fundamental falar sobre saúde mental com os nossos jovens, de uma maneira leve, claro, para que esses jovens não se sintam julgados e, sim, acolhidos. Inteligência emocional é a chave para que esses jovens possam gerenciar suas emoções e administrar os seus conflitos. Por isso, incentive o acompanhamento profissional, promova palestras com temas leves, tais como: amizade, amor, felicidade. Cole cartazes sobre autocuidado, mas o principal: adote um Projeto de Vida para sua escola. Isso vai fazer toda diferença no emocional dos seus alunos. ”, garante Andréa Viana, Orientadora do Projeto Baobáo Projeto de Vida que a Vortex Educação oferece para as suas escolas parceiras.

Mas o que vem a ser um “Projeto de Vida”?

Em linhas gerais, o projeto de vida a ser oferecido pela escola se refere a uma das competências garantidas pela Base Nacional Comum Curricular, BNCC, e tem por objetivo incentivar o desenvolvimento de habilidades e do autoconhecimento por parte dos estudantes a fim de que estes possam realizar decisões mais assertivas e acertadas nos âmbitos pessoal, social e profissional de suas vidas.

Como trabalhar o “Setembro Amarelo” nas escolas?

A escola se faz um dos terrenos mais férteis para que as ações promovidas no “Setembro Amarelo” gerem bons frutos. Para tanto, diversas atividades podem ser realizadas: que tal, por exemplo, espalhar por toda instituição cartazes e murais com mensagens positivas e de encorajamento que venham a ser produzidas pelos próprios alunos?; palestras que possibilitem plenas interações dos palestrantes com seus públicos –em torno desse assunto – são outras ótimas pedidas; atividades que ressaltem a importância das práticas terapêuticas norteadas por auxílios de profissionais e rodas de conversas mediante as quais os jovens se sintam motivados a compartilharem experiências e opiniões entre si voltadas para esse tema (com a presença, claro, de algum mediador) são fundamentais também, tais como a viabilização de atendimentos individualizados que sejam focados nos casos que demandam cuidados mais específicos e urgentes.

Imagem ilustrativa em alusão ao "Setembro Amarelo"
Imagem ilustrativa em alusão ao “Setembro Amarelo”

Como perceber que alguém precisa de ajuda?

Alguns comportamentos são típicos de pessoas que estão enfrentando as mais sérias tempestades emocionais. Eis alguns dos principais: isolamento social; alterações bruscas de humor; queda no rendimento escolar (no caso dos estudantes); sonolência frequente; irritabilidade, agressividade e/ou agitação demasiada (s); desleixo quanto à aparência e falas constantemente carregadas de pessimismo e voltadas para nuances trágicas da vida. Logo, fiquemos sempre bem atentos! Olhares de empatia e amor podem salvar vidas.

Atenção

Vale ressaltar que o “Setembro Amarelo” é, sim, um marco, porém atividades que promovam o estabelecimento de ambientes mais empáticos, acolhedores e plurais devem ser buscadas ao longo de todo ano. E aí, curtiu? Como esse período tão especial do ano costuma ser aproveitado na sua instituição?